Filosofias Ianescas: a criança e o alface faminto

Ian foge do alface monstro gigante
Ian foge do alface monstro gigante

Estávamos numa típica cena mãe-com-filho-pequeno-fazendo-compras-no-supermercado: Ian dentro do carrinho, misturado com as compras, enquanto eu me direcionava para a parte de verduras.

Ele, olhando para as frutas, falando pelos cotovelos sobre um monte de coisas (Ian fala tanto e por tanto tempo que às minha cabeça tem dificuldade de assimilar) quando eu interrompo o seu quase monólogo, dizendo:

– Ian vou comprar as verduras para fazer uma salada. Você bem que devia comer verduras…

E me aproximei das verduras, enquanto ele ficava dentro do carrinho, próximo à gondola das laranjas. Então, escuto de lá, em alto e bom som:

– Mamãe, eu não posso comer verduras…

Já prevendo essa resposta negativa, nem me dei ao trabalho de olhar para trás e continuei escolhendo os produtos.

Ele continuou:

– … eu sonhei que um alface estava correndo atrás de mim.

Então, já achando graça e com um inofensivo alface nas mãos, eu olho pra ele e pergunto:

– Como é, Ian? O alface correu atrás de você?

– É sim mamãe. Era um alface monstro gigante e ele queria me comer…

Tá certo. Tá explicado. Vou tentar com cenouras da próxima vez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.